Confira tudo o que vai acontecer em Santos nesse final de semana

A programação cultural na região não para, e reserva muitas opções de diversão e lazer no primeiro fim de semana de 2016. Confira:

Pré-estreias

Os Oito Odiados
Vai que Dá Certo 2
Mais informações sobre filmes, cinemas e hiorários acesse página de cinema de  A Tribuna.

Shows

Double You

O grupo italiano de eurodance se apresenta nesta quinta-feira (31), a partir da meia-noite, na Yellow Village, no Guarujá. Ingressos: R$ 120,00 (mulher) e R$ 210 (homem), à venda no site Ticket 360. Classificação 18 anos. Av. Marjori Prado, 1.100, Praia do Pernambuco.

Henrique e Juliano

A dupla sertaneja se apresenta no Café de La Musique São Pedro, nesta sexta-feira (1), a partir das 15h. Os ingressos custam de R$ 115,00 (meia -feminino) a R$ 350,00 (Iinteiro – masculino), à venda no site Ticket 360. Classificação: 18 anos. Fica na Rodovia Guarujá-Bertioga s/n, km 15, no Guarujá.

Dupla sertaneja é a pedida para quem deseja curtir uma boa balada no Guarujá

Gilsinho e Banda

O cantor Gilsinho e banda trazem os clássicos do samba e do pagode, além de músicas autorais como “Sonho Nordestino”, “Meu Samba Tá Aí” e “Pra Dizer Que Sim”.  Sábado (2), às 19h30, na Concha Acústica Vicente de Carvalho. Orla do Gonzaga, ao lado do Canal 3. Gratuito.

Onze e Vinte

No sábado (2), a partir das 15h, também no Cafe de La Musique, tem apresentação da banda de reggae Onze e Vinte. Ingressos de R$ 50,00 (feminino) e R$ 70 (masculino), à venda no site Ticket 360. Classificação: 18 anos. O endereço é Rodovia Guarujá-Bertioga s/n, km 15, no Guarujá.

Teatro

Conchinha

A primeira edição do Projeto Conchinha de 2016 traz a peça “A Centopeia Judite”, no domingo (3), às 10h30. O espetáculo, assinado por Delba Baraldi, conta a história de uma centopeia que sonha em crescer e descer da árvore onde mora para ajudar os duendes da floresta na missão de alertar as pessoas sobre as queimadas, desmatamentos e o descarte incorreto do lixo. Mas somente um mago pode ajudá-la. Num universo saudável e divertido, o texto convida a todos para refletir sobre a preservação da vida. Concha Acústica Vicente de Carvalho. Orla do Gonzaga, ao lado do Canal 3. Gratuito.

Poetinha Camará

A criançada pode assistir ao espetáculo “Poetinha Camará”, com o elenco da Companhia do Fubá, neste domingo (3), às 17h30, no Sesc Santos. Vinicius é um garotinho apaixonado. Após uma frustrada tentativa de compor um poema de amor, ele acaba descobrindo e nos mostrando a história de um outro Vinicius: o de Moraes. Texto de Bruno Gavranic e Fernanda Gama, direção de Fernanda Gama. Com Bruno Gavranic, Fernanda Gama, Paula Bega e Vítor Freire. Gratuito. Rua Conselheiro Ribas, 136, Aparecida.

Circo

Até fevereiro tem o espetáculo “O Sonho Vai Começar”, do Circo dos Sonhos, em Santos. Os espetáculos acontece de terça a quinta-feira às 20h. Sextas, sábados, domingos e feriados às 19h e 21h. São mais de 60 profissionais envolvidos, entre eles 30 artistas brasileiros com talento de nível internacional. A trupe traz malabaristas, equilibristas, contorcionistas, mágicas e muita palhaçada. Os ingressos  custam  de  R$ 30,00 a R$ 50,00. Av. Saldanha da Gama, 23, Ponta da Praia.

7 ideias de home office para você se inspirar

Home Office

HORA EXTRA

Manu Oristanio

Ao montar seu home office, a primeira pergunta a fazer é: “Quanto tempo vou passar nesse espaço?” Se seu trabalho é realizado exclusivamente em casa, opte por um ambiente maior e mais reservado. Já se o uso for ocasional, invista em algo discreto, como a estante da página ao lado, que faz as vezes de escrivaninha e não interfere na decoração da sala.

TAMANHO FAMÍLIA

MCA Studio

Você tem de trabalhar e as crianças precisam fazer a lição? Ganhe mais espaço nos quartos tirando as escrivaninhas e monte um escritório comum que abrigue toda a família. Uma única bancada resolve a situação. “Não se esqueça de que ela deve atender às necessidades dos pequenos também: assegure que a altura da mesa e das cadeiras seja boa para eles e deixe o material escolar à mão”, sugere a arquiteta Ieda Korman, de São Paulo.

ESTILO PRÓPRIO

Living 4 Media

Já que está em casa, aproveite para imprimir sua personalidade ao ambiente. Decore-o com objetos que ofereçam inspiração e a estimulem no dia a dia. Por exemplo: bibelôs, quadros, fotos e até moodboards – aqueles painéis com recortes de imagens que lembram seus objetivos e desejos.

COMBINAÇÃO INFORMAL

Brando Cimarosti/Living 4 Media

Escrivaninhas e cadeiras diferentes – dá até para usar uma mesa de jantar! – embelezam e dão graça ao ambiente. Uma boa iluminação também é fundamental. Prefira montar seu home office próximo a janelas. “Além disso, complemente a luz do teto com abajures de mesa, que são práticos e criam um clima aconchegante”, diz Ieda.

GUARDA-TUDO

Annette & Christian/StockFood

Quando vida pessoal e profissional se misturam, a bagunça é quase certa. Evite que os materiais fiquem espalhados pela casa organizando-os em uma grande estante. Se quiser esconder papéis e outros objetos, opte também por nichos fechados. “O ideal é planejar quanto espaço será necessário antes de montar o home office e fazer um móvel sob medida. Ou procurar um que caiba no ambiente e seja prático”, diz a arquiteta Patricia Martinez, de São Paulo.

LUZ NATURAL

Carlos Piratininga

Na varanda, há garantia de boa iluminação – e você ainda ganha uma vista gostosa. Mas, para não perder essa área preciosa também para o lazer, faça dela um ambiente multiúso. Recorra a móveis com rodinhas e bancadas retráteis; assim, o escritório é facilmente desmontado no fim de semana ou para um encontro com amigos.

MÁXIMO APROVEITAMENTO

Richard Powers/Corbis

Alguns cantos desperdiçados da casa têm verdadeiro potencial para virar escritório. Este hall entre os quartos estava sem utilidade. De fácil acesso, se provou ser o lugar perfeito para o computador. “Se quiser evitar o ar de improviso, o segredo é seguir o padrão do restante da decoração, como acontece com este móvel de madeira clássico”, explica Patricia.

2016 será um bom ano para comprar imóveis; veja tendências

Para mostrar qual será a temperatura do mercado imobiliário brasileiro em 2016, EXAME.com conversou com alguns especialistas, que responderam, entre outras questões, se o ano será bom para o comprador ou para o vendedor; se os preços dos imóveis estarão com descontos; e se os juros dos financiamentos estarão altos.Casa e horizonte, imóveis

Confira os resultados a seguir e fique por dentro das principais tendências do mercado  para o ano que se inicia.

Atividade em baixa

Com os fortes indícios de que a crise econômica deve se manter em 2016, o mercado imobiliário deve ter outro ano de baixa atividade.

Apenas para citar alguns dados de 2015, de janeiro a setembro deste ano os lançamentos de imóveis no Brasil sofreram queda de 24% e o número de vendas caiu 7% em relação ao mesmo período de 2014, segundo pesquisa da Câmara Brasileira da Indústria da Construção, consolidada pelo Secovi-SP.

A cidade de São Paulo deve registrar uma queda de 38% nos lançamentos de imóveis, passando de um saldo de 33.955 unidades lançadas em 2014, para 21 mil em 2015, segundo dados do Secovi-SP. As vendas também devem sofrer redução de 20%, passando de 21.756 unidades comercializadas em 2014, para 17.300 em 2015.

A situação continuará ruim, mas tem chances de ser menos dramática do que neste ano. O mercado imobiliário está vivendo uma hemorragia aguda e o quadro é tão grave que, apenas se parar de sangrar, já melhora muito.

Em sua visão, no entanto, para que essa “hemorragia” seja ao menos estancada, uma solução para o impasse político precisaria começar a ser desenhada no começo do ano. Enquanto não tivermos um norte, a situação continuará como está.

Não é possível saber, ao menos por ora, quando a crise política se encerrará, mas se isso ocorrer no começo do ano, o mercado imobiliário deve se recuperar a partir do segundo semestre de 2016.

A recuperação será tão mais curta quanto mais rápido os agentes econômicos recuperarem sua confiança. Se o impasse político se resolver logo, o mercado volta, ainda que lentamente, no ano que vem. Caso contrário, a demanda reprimida continua e 2016 será um desastre.

Ele acrescenta que o mercado imobiliário depende de dois fatores principais para crescer. O primeiro é a confiança do comprador sobre o futuro da economia, fator crucial para que ele se sinta confortável para destinar sua poupança ao imóvel. A família precisa acreditar que esse valor não será necessário, já que a recomposição da poupança demora muito, de oito a dez anos.

O segundo fator é a confiança de que a renda não vai cair, já que para comprometer entre 25% e 30% do orçamento com o financiamento, por um prazo de 30 anos, o comprador precisa ter confiança de que seu emprego se manterá intacto. Se esses fatores não tiverem presentes, a demanda não se anula, mas se reprime.

Preços mais baixos

Com a resolução do impasse político ou não, fato é que ao menos no início de 2016, os preços dos imóveis devem se manter em baixa. A incerteza sobre os rumos do país se reflete em preços baixos. Não é algo homogêneo, mas os compradores conseguem achar preços convidativos em diversas regiões.

De acordo com o Índice FipeZap, que acompanha o preço médio dos imóveis em 20 cidades brasileiras, o valor médio do metro quadrado nas regiões incluídas no índice subiu apenas 1,32% entre janeiro e novembro 2015. Considerado o efeito da inflação, isso significa que os preços tiveram queda real (variação inferior à inflação) de 7,44% no período.

Um boletim do FipeZap prevê, inclusive, que em 2016 os preços dos imóveis devem retornar ao valor que tinham em 2011.

Os preços devem se manter em baixa. 2016 é o ano de comprar e, a não ser que o país entre em uma depressão econômica brutal, em 2017 os preços tendem a ser maiores, pensando em um grau de recuperação qualquer.

Claudio Bernardes afirma que, segundo dados do Secovi, o preço médio dos imóveis ofertados em São Paulo caiu 10% de janeiro a novembro de 2015, o que significa que é possível encontrar unidades com descontos nessa faixa hoje na cidade.

No entanto, ele diz que esses descontos tendem a diminuir ao longo do ano, já que as empresas já estão buscando se ajustar à nova realidade, de menor demanda.

Os descontos hoje são oferecidos porque os imóveis lançados em 2015 se depararam com uma demanda reprimida, diante da queda de confiança do comprador. Assim, para conseguir vender suas unidades em estoque em um momento de baixa procura, construtoras foram obrigadas a reduzir seus preços.

Em São Paulo, por exemplo, os estoques de imóveis, contabilizados a partir do número de imóveis em construção e prontos, devem encerrar dezembro com um número 5% superior ao registrado em 2014, segundo o Secovi-SP. Enquanto em 2014, a cidade possuía 27.555 unidades em estoque, neste ano o número deve subir para 28.500.

A média histórica de estoque é de cerca de 17 mil unidades, estamos com muito mais unidades em estoques do que deveríamos ter, por isso as empresas estão agora lançando menos e oferecendo descontos.

Ruim para quem vende

Os preços do mercado imobiliário são ditados pelos valores praticados pelas construtoras. Assim, os preços de imóveis usados, vendidos por pessoas físicas, tendem a acompanhar os preços das unidades novas, vendidos pelas construtoras.

Por essa razão, os vendedores de imóveis usados também não devem conseguir preços bons nos seus imóveis. Se a pessoa precisar vender, não tem jeito, mas se ela puder esperar o mercado se recuperar é melhor.

2016 ainda será um ano de acomodação O mercado imobiliário tem uma característica muito particular: ele não deixa de existir e não fica totalmente paralisado. O que acontece em momentos como este é que o preço sofre uma acomodação, já que com mais dificuldades para vender, as construtoras oferecem descontos.

O mercado vive um momento de histeria coletiva e tanto o comprador, quanto o vendedor, devem ficar atentos a isso.

Enquanto vemos dados de entidades como Sinduscon, Secovi, Abecip, etc. de quedas nas vendas, muitas vezes a indústria imobiliária vai na contramão dos indicadores e vende a ilusão de que o mercado não está ruim. O setor tem que abandonar algumas práticas que talvez funcionassem no passado, mas que hoje já não funcionam, como vender otimismo onde não dá.

 

Confira 5 dicas para reformar seu apartamento em 2016

Fazer um planejamento dos gastos é fundamental para não passar aperto ao reformar

Não abra mão do projeto

Contratar o serviço de um arquiteto ou designer de interiores para apoiar uma reforma pode custar de R$ 45 a R$ 100 por m². Você pode pensar que esse gasto é dispensável, mas, na verdade, um bom projeto funciona como um instrumento eficaz para poupar dinheiro. Mais do que um desenho, o projeto define a execução, detalha o quanto cada etapa vai custar e o tempo que vai levar para ficar pronta. As perdas geradas por projetos inexistentes ou mal feitos são enormes e vão da escolha de materiais inadequados ao retrabalho, o que significa atraso no cronograma, desperdício de material e dinheiro jogado fora.
Getty Images

Escolha os materiais de modo inteligente

Os materiais nobres proporcionam sofisticação ao projeto, mas existem opções que permitem a substituição desses itens sem ter que gastar tanto. É o caso dos porcelanatos que imitam mármores e dos novos revestimentos vinílicos e laminados que podem ser usados no lugar da madeira. Além disso, os fabricantes de acabamentos, de louças e de metais sanitários trabalham com catálogos amplos, oferecendo linhas para atender diferentes padrões e expectativas de preço. Assim é possível encontrar produtos mais baratos mantendo a opção por um fabricante confiável, que garanta qualidade e segurança.
Getty Images

Negocie sempre

Você consegue obter descontos em todas as etapas da reforma, especialmente em marcenaria e armários planejados. Por isso, pesquise e pechinche sempre. Na hora de negociar, ter um arquiteto ou designer de interiores ao seu lado pode ajudar a economizar, porque o profissional tem conhecimento sobre os preços e sobre os requisitos técnicos para comparar os produtos. Para driblar o cenário econômico adverso, o varejo tem se esforçado para fechar vendas. Se você está pensando em reformar, pode se aproveitar desse contexto, negociando melhores valores e condições.
Thinkstock

Faça um planejamento financeiro

A dica para não passar aperto ao reformar é planejar os gastos. Saber o custo global da reforma é fundamental, por exemplo, para decidir entre fazer toda obra de uma vez ou priorizar algumas áreas. Além disso, há fornecedores com opções interessantes de parcelamento, enquanto outros oferecem descontos significativos caso prefira pagar à vista. Dependendo do porte da obra, algumas empreiteiras dividem o preço total em até seis vezes para pegar todo o serviço. Um orçamento bem executado pode tirar proveito de todas essas possibilidades e auxiliar a tomada de decisão entre usar financiamento bancário, parcelar com o fornecedor ou resgatar uma aplicação para pagamento à vista.
Getty Images
Getty Images

Tenha bons profissionais ao seu lado

Na hora de contratar mão de obra, você vai encontrar enorme variação de preço. Por isso, pesquisar e buscar o valor mais justo é mais do que recomendável. Mas tome cuidado para não barganhar demais ou o barato pode sair caro. Se os profissionais não forem competentes, todo investimento pode se perder, seja por conta de quebras e acidentes, seja por causa de atrasos ou pela necessidade de refazer serviços. Para fugir de “pseudo especialistas”, contrate somente profissionais com referência, que trabalhem sob contrato e que cumpram a legislação em vigor.

Designer cria janelas para que quem tem apartamentos pequenos possa ver melhor o céu

Qual foi a última vez que você viu o céu de dentro do seu apartamento? Difícil lembrar, se é que alguma vez isso já aconteceu. Estando confinados a espaços cada vez menores, dificilmente temos a possibilidade de adquirir um apartamento com varanda ou, pelo menos, uma grande janela. Mas uma solução para o problema pode estar na próxima loja de artigos para o lar.

Se trata do More Sky, uma mistura de janela inovadora com objeto de decoração, pensado para ambientes pequenos. O projeto é da designer argentina Aldana Ferrer Garcia, que desenvolveu três modelos de janelas especialmente para quem quer admirar o céu de dentro de casa. O primeiro deles, funciona quase como um espaço de relaxamento ao ar livre, em que é possível se recostar sobre a janela e admirar a vista.

janela1

Os outros dois modelos também preveem um espaço mais aconchegante para curtir um pouco da natureza sem sair de casa. Uma das opções é a janela feita para que você se apoie enquanto admira a paisagem, enquanto a terceira delas funciona quase como uma cápsula, sendo perfeita para criar um momento de relaxamento único e ideal para aqueles que se interessam por meditação ou querem apenas ler um livro diante de uma vista mais bonita.

janela3

janela4

janela5

janela2

Recicle a ideia: Cerâmicas feitas a partir de lâmpadas recicladas

Usar o vidro de lâmpadas fluorescentes descartadas é um feito conseguido pela Lepri Cerâmicas após muitos estudos e pesquisas, e que tem um apelo ecológico bem significativo por reutilizar um material de difícil descarte.

As lâmpadas fluorescentes têm mercúrio metálico em sua composição, por isso agridem bastante o meio ambiente quando são jogadas e ficam em contato direto com o solo ou com a água.

Foto: Lepri Cerâmicas

As diferentes linhas de cerâmicas feitas a partir das lâmpadas recicladas oferecem um bom leque de opções para revestir áreas internas e externas, com acabamentos mais rústicos que parecem pedras ou mais polidos, como as pastilhas.

5 dicas para atrair boas vibrações para sua casa e sua vida em 2016

Como preparar a casa para 2016? Se você pretende atrair boas energias e vibrações positivas para o ano novo na sua vida e onde você mora. Seguem  algumas dicas para recomeçar com o pé direito.

Dicas paras atrair energia positiva para 2016

1. Limpar a casa com álcool e cânfora

Primeiro passo é a limpeza

2. Defumar ambientes ao som de mantras

Incenso e defumação

3. Tomar banhos de ervas e sal grosso

Banho de sal grosso e ervas

4. Escrever uma carta

Carta de agredecimentos e pedidos

5. Oferecer flores e ótimos alimentos às pessoas da família e amigos queridos

Flores e frutas para quem a gente ama