Dicas para aproveitar o carnaval com os filhos.

2o47whwtyti392fftbdcxmfc7

Oferecer muito líquido, escolher roupas leves que não irritem a pele e saber reconhecer quando bate o cansaço nas crianças são cuidados essenciais durante o feriado de festas

Pode ser no campo, na praia ou na cidade. Não importa onde a família passe o carnaval, os pais devem ter alguns cuidados com as crianças durante o feriado prolongado. Isso porque apesar da folia ser divertida e saudável, também pode ser intensa, com muitas horas de festa e diversas atividades que bagunçam a rotina infantil.

Confira as dicas de especialistas para deixar a festa ainda mais alegre, sem descuidar do bem-estar dos pequenos:

  • Escolha roupas leves e de material que não irrite a pele da criança.
  • Use tintas adequadas à pintura corporal infantil para as produções mais elaboradas.
  • Manter uma boa hidratação é fundamental. Ofereça sucos, leite e muita água à criança.
  • No caso do leite, o melhor é levar o produto em pó e misturar à água filtrada na hora de servir ou, se for pronto, certifique-se que ele tenha sido bem acondicionado

4rhm2cqkv2bv8ggc86mcjzn7i

  • Confete, serpentina, spray de espuma e similares: crianças muito pequenas não podem manuseá-los sozinhas para não engolir os itens por acidente.
  • Em bailinhos fechados, verifique se o ambiente tem boa circulação do ar. Locais abafados podem causar até desmaios.
  • Veja se no local tem uma enfermaria bem equipada em funcionamento e profissionais de plantão para atender as crianças em qualquer eventualidade.
  • Evite os bailinhos com início entre 12h e 13h. A temperatura chega ao seu pico do dia nesse horário. Prefira eventos do meio da tarde em diante.
  • Se for viajar, confira os horários das atividades para crianças no hotel ou resort para planejar a rotina do dia, incluindo refeições e horários de descanso.
  • Se a criança começar a chorar insistentemente ou fizer birra, vá embora. Esses sinais podem indicar cansaço.

Fonte: Delas/IG

Anúncios

O que abre e fecha durante o carnaval na região.

Untitled-1

O feriado de Carnaval fará mudanças no expediente das prefeituras da Baixada Santista. Apenas os serviços essenciais estarão disponíveis de sábado a terça-feira.

Na Quarta-feira de Cinzas, os serviços públicos de cada cidade variam. Há casos em que os serviços públicos voltarão ao normal ao meio-dia e, em outros, só na quinta-feira.

Confira o que abre e fecha nas nove cidades da região durante a folia:

SANTOS

> Prontos-socorros e hospitais: esquema de plantão 24h.
> Unidades Básicas de Saúde: não funcionam, exceto a da Nova Cintra, que mantém plantão 24h.
> Linha Turística do Bonde: circula de sábado a terça, das 11 às 17h (saídas a cada meia hora da Praça Mauá). Na quarta não circula.
> Bonde especial para navios: saídas no sábado e domingo, às 9h30, 10h e 10h30, a partir da Rua Tuiuti (atrás do Museu do Café).
> Visita ao Palácio José Bonifácio: funciona de sábado a terça-feira, das 11 às 17h (visita a cada 30 minutos em todos os dias). Na quarta não ocorre.
> Linha Conheça Santos: circula de sábado a terça, das 9 às 17h (saídas a cada hora da Praça das Bandeiras, no Gonzaga). Na quarta não circula.
> Aquário: abre de sábado a terça-feira, das 9 às 20h (bilheteria fecha meia hora antes todos os dias). Na quarta, fechado.
> Orquidário: funciona de sábado a terça-feira, das 9 às 18h. Na quarta, fechado.
> Postos de Informações Turísticas: de sábado a terça, o PIT do Aquário funciona das 9 às 19h30; do Orquidário atende das 9 às 18h; e do Gonzaga, das 9 às 19h. Já o PIT da Praça Mauá, das 11 às 17h, e o da Rodoviária, das 9 às 19h. Na quarta, funcionam somente os do Gonzaga e da Rodoviária, das 9 às 19h.
> Estação Bistrô: não funciona.
> Outeiro de Santa Catarina: fechado.
> Jardim das Artes (Praça Vereador Luiz La Scala, próximo ao Aquário): funciona sábado, domingo e terça, das 9 às 20h.
> Jardim das Artes (Concha): funciona sábado, domingo e terça-feira, das 12 às 20h.
> Feira de Antiguidades: funciona somente sábado, das 9h às 20h.
> Pantheon dos Andradas: fechado todos os dias.
> Casa do Trem Bélico: fechado todos os dias.
> Gibiteca Marcel Rodrigues Paes (Posto 5): fechada todos os dias.
> Biblioteca Municipal Mário Faria (Posto 6): fechada para reforma.
> Jardim Botânico: abre normalmente todos os dias, das 8 às 18h.
> Engenho dos Erasmos: funciona de sábado a quarta, das 9 às 16h, sem monitoria.
> Estacionamento Regulamentado: precisa ser respeitado no sábado e na quarta. Domingo, segunda e terça o uso do cartão não será necessário.
> Corredores de ônibus: segunda e terça não funcionam. Normal na quarta.
> Feiras livres: funcionam normalmente, exceto quarta-feira.
> FeirArte: acontece sábado, segunda e terça-feira, no Boqueirão, das 14h às 22h; e domingo, no Sesc, no mesmo horário.
> Mercado de Peixe: aberto todos os dias, das 6 às 20h, exceto no domingo, que funciona das 6h às 14h.
> Mercado Municipal: abre sábado normalmente, das 7 às 18h. Domingo, terça e quarta-feira, das 7 às 13h. E na segunda, das 7 às 12h.
> Coleta de lixo domiciliar: funciona normalmente, exceto domingo.
> Cata-Treco: funciona normalmente, exceto domingo.
> Lixo Limpo: ocorre normalmente.
> Limpeza das praias: acontece normalmente.

SÃO VICENTE

Serviços de coleta, segurança, transporte e saúde pública funcionarão normalmente. Na próxima semana, repartições públicas e Paço Municipal fecharão de segunda a quarta-feira. Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT), pátio de veículos, escolas e creches retomarão as atividades na quinta-feira.
> Saúde: funcionam o Pronto Atendimento do Hospital Municipal (Rua Ipiranga, 353, Centro), os prontos-socorros da Cidade Náutica, Parque das Bandeiras e Humaitá e os Caps (Centro de Apoio Psicossocial). Já as Unidades Básicas de Saúde (UBS) estarão fechadas.
> Cultura e Turismo:a Casa Martim Afonso (Praça 22 de Janeiro, 469, Centro) e o Parque Cultural Vila de São Vicente (Praça João Pessoa, s/nº, Centro) abrirão às portas no sábado e quarta-feira, logo após o almoço.
> Bom Prato: os restaurantes Bom Prato do Jardim Irmã Dolores (Rua Camacã, s/nº) e do Centro (Rua Ipiranga, 479) funcionarão na quinta e sexta-feira.

PRAIA GRANDE

Na próxima semana, o expediente será normal apenas na quinta e na sexta.

> Hospital Municipal: atende normalmente. Para solicitar remoção de ambulância, ligar 192.
> Multiclínicas e Unidades de Saúde da Família: não funcionam.
> Guarda Civil Municipal: <MC>expediente normal. Atendimento no telefone 199.
> Coleta de lixo domiciliar e seletiva: <MC>atendimento normal.
> Limpeza das praias: diurna e noturna, da faixa de areia e do calçadão da orla.
>  Feiras livres: serão realizadas normalmente.
> Liberação de veículos: não funciona segunda e terça. Na quarta, o expediente será das 12 às 17 horas.
> Feiras de artesanato (Guilhermina, Ocian e Caiçara): funcionam às 14 horas.
> Fiscalização de trânsito: normal.
> Peixarias: Praia Grande conta com dois locais específicos para compra de peixes e frutos do mar em geral, ambos localizados na Avenida Presidente Castelo Branco. A butique de Peixes localiza-se na altura da Rua Rui Barbosa, Canto do Forte. Já o Mercado de Peixe fica na direção da Rua Carlos Gomes, no Ocian. Funcionam das 7 às 17 horas, inclusive feriados.
> PIT: das 9 às 18 horas na esquina das avenidas Castelo Branco e dos Sindicatos, no Mirim.

GUARUJÁ

> Feira-livre: a de segunda, na Rua dos Bandeirantes, Vila Rã, acontecerá normalmente, assim como as de quarta-feira, na Rua Wilson Pirani, na Conceiçãozinha, nas Astúrias, na Avenida Miguel Alonso Gonzalez, Vila Júlia e Santa Cruz dos Navegantes. As feiras da Praça da Vila Zilda, da Rua Bidu Sayão, no Perequê e na Rua Ceará, em Vicente de Carvalho, que ocorrem às terças, não funcionarão.
> Informações turísticas: unidades da Praia das Pitangueiras, na Secretaria Municipal de Turismo (Avenida Marechal Deodoro da Fonseca, 723, Centro), da Praia do Tombo – Bandeira Azul (no Núcleo de Educação Ambiental, Avenida Prestes Maia s/nº, Tombo) e da Rodoviária (Avenida Santos Dumont, s/nº, Santo Antônio) atenderão das 9 às 17 horas. Inf.: 3344-4600.
> Restaurante Popular: a unidade Tibério Birolini (Rua Colômbia, s/nº, Vila Baiana) funcionará normalmente na segunda e na quarta-feira, das 10h30 às 13 horas. Na terça, não abrirá. A unidade do Santo Antônio, na Alameda das Violetas, 330, fechará na segunda e terça e voltará a atender na quarta.

CUBATÃO

Na próxima semana, as repartições públicas municipais voltarão às atividades na quinta-feira. Durante esse período, funcionam normalmente os serviços de atendimento emergencial de saúde (pronto-socorros e UPA), parques ecológicos, coleta de lixo domiciliar, vigilância, fiscalização da receita, obras públicas e particulares, cemitério e velório, varrição de ruas e feiras livres.

MONGAGUÁ

Na semana que vem, o expediente volta ao normal na quarta-feira, das 12 às 17h. De sábado até 12h de quarta, funcionarão apenas os serviços essenciais, como Guarda Municipal, fiscalização do comércio, trânsito, prontos-socorros, hospital e limpeza pública.

ITANHAÉM

Serviços administrativos ficarão suspensos segunda e terça. Na quarta, serão retomados às 12h. O Pronto-Socorro Municipal, Sami e o Hospital Regional Jorge Rossmann terão funcionamento normal, assim como a coleta de lixo. Unidades de Saúde da Família (USFs), escolas e creches municipais não abrirão nestes dias todos. As aulas voltam na quinta.

PERUÍBE

A Prefeitura estará fechada na segunda e na terça, retomando as atividades na quarta, às 13h30. Saúde e limpeza urbana funcionam normalmente.

BERTIOGA

Somente na quinta-feira o expediente será retomado. Durante o Carnaval, apenas os serviços essenciais de saúde (hospital e pronto-socorro), coleta de lixo, limpeza urbana, fiscalização de trânsito, comércio ambulante e Guarda Civil Municipal serão mantidos.
> Mercado Municipal de Pescados (Avenida Vicente de Carvalho – ao lado do antigo atracadouro das balsas, Centro) atenderá das 7 às 20 horas.
> A varrição de vias públicas e limpeza na faixa de areia da praia serão mantidas durante o Carnaval. As duas unidades do Espaço Cidadão (Centro e Boraceia) ficam sem atendimento segunda, terça e quarta.
> As feiras livres de sexta-feira (Centro), sábado (Boraceia), domingo (Jardim Vicente de Carvalho II) e terça-feira (Jardim Rafael) funcionam normalmente.
> O Forte São João estará aberto para visitação pública normalmente durante o Carnaval, das 9 às 17 horas. As visitas são monitoradas e a entrada é franca.

OUTROS SERVIÇOS

> Poupatempo: não haverá expediente na segunda e na terça. Sábado é normal, das 9 às 14h.

>Sabesp: na segunda-feira, apenas a agência localizada no Poupatempo de Santos, fechará. As outras abrem das 10 às 16 horas. Já na terça, tudo fecha. E na Quarta-feira de Cinzas, os postos de atendimento abrirão das 13 às 16 horas, com exceção do Poupatempo de Santos, que funcionará do meio-dia às 18 horas. Emergências devem ser relatadas via 0800-0550195.

>Bancos: não haverá atendimento na segunda e na terça. Na quarta, o atendimento começa ao meio-dia.

 

 

Fonte: A Tribuna

Envidraçar a varanda pode ser um problemão. Veja os cuidados.

envidracamento-varanda-01

Varandas podem valorizar apartamentos, compõem um espaço externo agradável dentro de casa, são baratas para as construtoras e pesam menos no cálculo do IPTU. Mas quando os proprietários decidem envidraçar a sacada, de modo a poder controlar quando a casa ficará aberta ou fechada, uma série de dores de cabeça pode surgir.

Em grandes cidades como São Paulo e Rio de Janeiro, a incidência de ventos, a sujeira, a poluição e até o barulho podem levar proprietários de imóveis a quererem envidraçar suas varandas.

Mas em muitos casos, o desejo é o de ampliar a sala de estar, transformar a chamada “varanda gourmet” (ligada diretamente à cozinha e adaptada para refeições) em um local mais aconchegante ou mesmo criar um cômodo novo, como uma sala de leitura.

Contudo, envidraçar a varanda não é tão simples. É preciso se certificar de que a estrutura do prédio comporta os vidros na sacada, de que há concordância e padronização do condomínio e de que não há lei contra a prática. Mas mesmo assim, pode haver problemas para o bolso.

Encrenca com a Prefeitura

Ainda que estruturalmente e perante o condomínio não haja problema em envidraçar a sacada, o proprietário do imóvel pode ter problemas com a Prefeitura.

A área da varanda não é incluída no que se convenciona chamar de área útil da unidade, e seu peso para o cálculo do IPTU costuma ser menor.

Ocorre que, a partir do momento em que se envidraça a varanda, a Prefeitura pode entender que houve aumento da área construída e, em tese, querer elevar o IPTU da unidade.

É claro que essa cobrança esbarra em questões logísticas – a capacidade de fiscalização da Prefeitura para enquadrar tanta gente – e também pode esbarrar em questões legais.

O advogado Marcelo Tapai, especializado em direito imobiliário, explica que as varandas não alteram o potencial construtivo do terreno, permitindo a construção de mais unidades no prédio do que seria possível caso a área da varanda fosse um cômodo fechado.

Ou seja, as varandas acabam sendo uma forma de aumentar a área privativa do morador e tornar o edifício mais rentável para a construtora, uma vez que é possível construir mais.

Em função disso, diz Tapai, se a Prefeitura quiser cobrar mais IPTU pela área da varanda envidraçada, ela vai acabar entrando em um impasse.

Afinal, se a construtora respeitou o potencial construtivo do terreno, sem deixar folga nem pagar a outorga onerosa (que permite que se construa a mais do que o permitido), como se poderia assumir que, após o envidraçamento da varanda, os limites da Lei foram ultrapassados?

“A Prefeitura esbarra em questões técnicas. Ela não poderia ter permitido que se construísse acima do que a Lei estabelece. Então, a questão acaba entrando num limbo”, diz Tapai.

O advogado afirma ainda que a ausência de fiscalização, de elevação do IPTU ou de lei que proíba expressamente o envidraçamento da sacada também não representa uma autorização da municipalidade.

Assim, quem envidraça a sacada, na verdade, se arrisca a sofrer alguma punição ou cobrança futura, caso a Prefeitura decida discutir e disciplinar a questão.

“Se a Prefeitura decidir aumentar o IPTU dessas pessoas, multá-las ou mandar tirar os vidros, os proprietários vão sentir no bolso”, diz Tapai.

São Paulo é um exemplo de cidade onde a questão ainda não foi disciplinada e muita gente já envidraçou a sacada.

Mas no Rio de Janeiro, por exemplo, a questão é bem mais delicada. Existe, na cidade, um Decreto que proíbe expressamente a prática.

Segundo o Departamento Jurídico do Secovi-Rio, o sindicato local das empresas do ramo da habitação, o Decreto municipal 322/76 deixa claro que:

“As varandas não poderão ser fechadas ou envidraçadas, mesmo em parte, sob qualquer pretexto, devendo a convenção do condomínio estipular tal condição, sendo o condomínio solidariamente responsável na obediência a esta exigência”.

Em setembro de 2009, uma lei permitiu às pessoas que já haviam envidraçado suas varandas até então legalizar sua situação mediante pagamento à Prefeitura. Mas isso não pode mais ser feito.

Atualmente, a Prefeitura do Rio permite o fechamento de uma faixa de até um metro e meio da varanda a partir da parede de fachada em algumas regiões da Barra da Tijuca e do Recreio, mediante o pagamento de uma contrapartida. Ainda nestas áreas, é tolerado o fechamento de varandas dos fundos. No resto da cidade, permanece a proibição.

Encrenca com o condomínio

Nas cidades onde o envidraçamento das varandas não é expressamente proibido, os proprietários de imóveis que quiserem se arriscar terão que se certificar de que o condomínio permite a prática.

“A primeira coisa é ver se o condomínio permite e, se sim, qual é a padronização adotada. Quando começou essa moda, cada unidade ficava de um jeito. Como já ficou mais comum, normalmente os prédios padronizam e tudo acaba sendo feito por uma empresa só”, diz Gustavo Cestari, coordenador de projetos da Mayra Lopes Arquitetura.

Para permitir o envidraçamento, o condomínio precisa do aval do engenheiro calculista da obra, diz o advogado e consultor jurídico na área condominial Cristiano de Souza Oliveira.

Segundo Oliveira, é este engenheiro que deve indicar o projeto mais adequado ao edifício, que deve ser padronizado e exigido pelo condomínio, tanto por questões de segurança quanto para não alterar excessivamente a fachada.

A avaliação de um profissional é necessária mesmo para prédios antigos. No caso de prédios novos, muitas vezes as construtoras já os entregam com essa previsão de fechamento das varandas e uma padronização pronta.

“Mesmo se a construtora tiver falido, o condomínio deve localizar o engenheiro calculista do projeto do edifício para obter seu aval”, diz Oliveira.

 

Myx_imoveis

 

Se não houver essa aprovação técnica, os condôminos não devem insistir. Não é toda varanda que está apta para receber o peso adicional dos vidros. Mesmo com a disposição de eventuais móveis e plantas é preciso tomar cuidado, e tudo isso deve ser previsto no projeto.

Além disso, ainda há a questão dos ventos. “O prédio é projetado para ventos de uma determinada intensidade. Quando a varanda é fechada, passa a haver uma resistência maior aos ventos, o que pode trazer danos ao prédio”, explica o advogado.

Para João Paulo Rossi Paschoal, assessor jurídico do Secovi-SP, envidraçar a varanda, a princípio, é errado. “O prédio foi projetado por um especialista. Se foi entregue aberto, é por uma razão. Há questões de aeração, de proteção contra incêndio, até de direito autoral do arquiteto”, observa Paschoal.

Permitido o envidraçamento, também deve haver a preocupação em não se alterar a fachada fora do que as leis permitem e do que os condôminos toleram.

Segundo Marcelo Tapai, o Tribunal de Justiça de São Paulo considera que a simples colocação de vidro na varanda não é suficiente para alterar a fachada de um edifício.

Mas segundo Cristiano de Souza Oliveira, isso não quer dizer que os outros condôminos precisem estar de acordo. A decisão final será tomada pelos condôminos, que devem decidir, por unanimidade, que o envidraçamento pode ser feito.

O assessor jurídico do Secovi-SP diz que é preciso tomar cuidado com a jurisprudência. “As circunstâncias que levaram àquela jurisprudência eram específicas e podem não ter nada a ver com o seu caso. A tendência majoritária é dizer que se trata sim de alteração de fachada e que não se deve envidraçar a varanda sem consenso dos condôminos”, diz Paschoal.

Se os condôminos aprovarem a prática, o projeto deve ser padronizado para todo o condomínio, adequando-se à estrutura do prédio e com o mínimo de impacto visual.

O condomínio pode até indicar empresas que façam o serviço de acordo com o projeto aprovado, mas de acordo com Marcelo Tapai, os proprietários são livres para escolher qualquer empresa que execute o projeto da forma exigida.

Porém, caso o condomínio não aprove a colocação do vidro por qualquer motivo, ainda que por gosto estético, quem quiser bater de frente com os demais condôminos e envidraçar a varanda mesmo assim pode acabar em encrenca. O mesmo vale para quem não respeitar o padrão estabelecido para o envidraçamento da sacada.

O proprietário pode ser advertido (para que desfaça a obra), multado, por infringir as normas do condomínio e, em última instância, sofrer uma ação judicial para que desfaça a obra irregular. O condomínio pode até perder, mas são grandes as chances de ganhar.

Marcelo Tapai lembra, ainda, que quem envidraça a sacada, mesmo estando dentro das regras do condomínio, não pode eliminar a divisória que separa a varanda do resto do apartamento.

“Isso configura alteração da fachada. Seria como pintar a parede da varanda de cor diferente do restante dos condôminos. Prevalece o que se vê através do vidro”, explica. Quem não respeitar a norma também está sujeito a advertência, multa e ações judiciais.

Seja como for, se for preciso desfazer a obra o prejuízo é grande, uma vez que o envidraçamento custa alguns milhares de reais. Então, é melhor ficar de olho na lei do seu município e nas regras do condomínio.

 

Fonte: Exame

Conheça projetos de lei que podem impactar o mercado imobiliário

entrega-chaves-imovel

Debates relevantes e polêmicos do mercado imobiliário viraram temas de projetos de lei que tramitam atualmente na Câmara dos Deputados. Um deles, por exemplo, pretende proibir que as construtoras estabeleçam nos contratos atraso superior a 60 dias na entrega do imóvel.

Ou seja, após a data firmada, o comprador só poderá aguardar mais dois meses para entrar na casa (ou outro empreendimento). Caso contrário, o incorporador terá que pagar ao proprietário multa correspondente a cinco milésimos do valor total pago pelo bem adquirido.

O objetivo dessa proposta, segundo o seu relator, é impedir algumas práticas comuns entre as construtoras, tais como estipular uma tolerância de, normalmente, seis meses para o atraso na entrega do imóvel ou colocar cláusulas de contrato com indenizações baixas para os compradores lesados. “As construtoras, às vezes, não conseguem cumprir o prazo, não fazem um plano para ver se o investimento delas são compatíveis com o mercado, e quem tem pago isso é o consumidor”, afirmou o deputado Paulo Foletto.

O advogado Rubens Carmo Elias Filho, que também preside a Associação das Administradoras de Bens Imóveis e Condomínios de São Paulo (AABIC), comenta que os atuais contratos firmados entre construtoras e proprietários já estabelecem cláusulas com multas e indenizações para eventuais descumprimentos de prazos. Ou seja, o projeto de lei, se aprovado, fará uma interferência desnecessária nesses procedimentos. Para ele, a entrega da moradia dentro do prazo firmado entre as partes poderia se tornar um diferencial de mercado para as construtoras.

Existem ainda outros projetos de lei que, se aprovados e sancionados, poderão causar certo impacto no mercado. Confira o que mais anda sendo discutido na Câmara dos Deputados em assunto de imóvel.

CONHEÇA OS MELHORES IMÓVEIS EM SANTOS
VISITE A PÁGINA DA MYX IMÓVEIS
www.myximoveis.com.br

Abatimento para imóvel alugado em reforma – A proposta desse projeto de lei é conceder desconto no aluguel durante o período em que forem feitos reparos e reformas consideradas urgentes na residência. Hoje, o inquilino só tem direito ao abatimento do aluguel se os reparos durarem mais de dez dias, conforme prevê o artigo 26 da Lei do Inquilinato.

“O mínimo a se exigir do locador é a garantia de que o imóvel estará em condições apropriadas para uso, sob pena de não poder cobrar o aluguel durante o período em que a residência estiver em reparos”, afirmou o relator do projeto, deputado Vanderlei Siraque.

O presidente da AABIC concorda que seria justo o locatário efetuar o pagamento do aluguel a partir do momento em que a casa estivesse apta para ser habitada, salvo os casos de pequenos reparos, que não impedem a utilização da propriedade.

Isenção de IPTU para quem preservar mata nativa – A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) é não cobrar IPTU de quem vive em uma residência onde há vegetação nativa e realiza a preservação da área. A proposta também estabelece o reaproveitamento de águas da chuva, a utilização de energia renovável e outras atitudes por parte do morador como critérios para diminuir a alíquota do IPTU. Atualmente, a Constituição utiliza apenas a localização e o uso do imóvel para avaliar o valor do imposto municipal.

De acordo com o relator, o propósito dessa PEC é incentivar o cidadão a construir e comprar moradias que preservem os recursos hídricos, economizem energia e preservem vegetação.

Na opinião do advogado Rubens Carmo, se o projeto for aprovado, caberá às prefeituras realizar um trabalho eficiente de supervisão dos imóveis beneficiados pela lei, para atingir, de fato, o objetivo da lei, que é a preservação dos recursos naturais.

*Com informações da Agência Câmara de Notícias

 

Fonte: Revista ZAP

 

O que fazer para preparar a casa para o clima do carnaval

O carnaval está aí! O começo do mês de março está se aproximando e todo mundo já está se animando para começar a folia. E você pode deixar sua casa mais divertida para o feriado mais animado do mundo.

Nessa matéria vocês vão descobrir o que vocês podem fazer para decorar a casa no clima carnavalesco. E as ideias são variadas, para todo tipo de gosto.

Para entrar no clima de carnaval a casa pode ser decorada com acessórios de cores mais fortes que sejam trocadas com facilidade.

Almofadas espalhadas pelo sofá, vasos coloridos com flores, uma colcha mais festiva na cama e bandejas coloridas para acomodar objetos trazem alegria extra à casa.

vaso tecido

A casa pode também ser produzida com máscaras carnavalescas no hall de entrada. Para funcionar, o melhor é que sejam coladas com fita dupla face.

mascaras_carnaval

E aqui vai uma dica extra para aqueles mais animados com o carnaval. Podemos espalhar confetes e serpentinas pela casa toda para criar um clima descontraído no ambiente.

confete_serpentina

Outra coisa que pode ser feita é mudar a toalha de mesa das comidas por uma bem alegre, que pode fazer toda a diferença.

O uso de tecidos em detalhes fica maravilhoso. Podemos trabalhar com estampas geométricas, chitas e tecido florais em objetos decorativos como vasos, pés de cadeiras e frente de gavetas.

 

CONHEÇA O MELHOR LUGAR PARA QUEM QUER
ENCONTRAR SEU APARTAMENTO EM SANTOS
www.myximoveis.com.br

 

toalha_mesa

A aposta é em cores fortes e adesivos estampados também para o banheiro. O espelho pode receber uma moldura colorida e as paredes adesivos com bastante formas geométricas.

espelho-amarelo

Cor diferente para a moldura do espelho dá destaque ao ambiente (Foto: Christiane Roy)

Para a sala, existem muitas opções que podem deixar o ambiente com a cara do carnaval. Além de espalhar confetes e serpentinas, almofadas estampadas e com cores diferentes dão um tom a mais.

almofadas_coloridas

Almofadas devem dar um contraste com a cor do sofá

Para as paredes, a sugestão é de trabalhar com uma miscelânea de cores e formas geométricas para fazer um mural colorido. É importante delimitar a parede em formas geométricas e, em seguida, escolher tons diferentes e distintos para a pintura.

mosaico_parede

Ouse! Abuse das cores para deixar a parede mais alegre

Aqueles amantes por escolas de samba também podem fazer algo diferente na parede, ou deixa-la com um adesivo que faça lembrar o carnaval. Quem pensa em investir um pouco mais pode aplicar uma película adesiva com o tema como fundo na parede sobre o sofá.

Agora é só pegar as dicas que mais interessam e deixar a sua casa mais alegre com a chegada do carnaval.

 

 

Fonte: ZAP

Bailes e matines de carnaval nas tendas da orla de Santos

TendasdePraia2014

As cinco tendas montadas na orla de Santos entram no ritmo do Carnaval e oferecem bailes, das 20h à 1h, nos dias 1º, 2, 3 e 4, e matinês, das 15h às 18h, nos dias 2, 3 e 4.

Na Tenda 1 (Pompeia), os bailes têm animação da Banda Siryus e as matinês, da Giovanni Music Band. Na Tenda 2 (Gonzaga), o agito noturno é da Zago Art Show, enquanto a festa da criançada fica sob o comando da Musical Cabaret.

IMÓVEIS DE QUALIDADE E PREÇOS IMPERDÍVEIS
VOCÊ ENCONTRA NA MYX IMÓVEIS
www.myximoveis.com.br

A Banda Fantasy e Nayat Jordan & Company animam, respectivamente, os bailes e matinês na Tenda 3 (Boqueirão). Já a Tenda 4 (Embaré) oferece o som da Banda Apocalipse, nas noitadas, e da Musical Ponto de Impacto, nas tardes.

Na Ponta da Praia, a Tenda 5 (Aparecida) tem Johnny Brazilian Band nos bailes e Adriano Neves e Banda nas matinês. Toda a programação é gratuita.

Fonte: Prefeitura de Santos

O Imposto de Renda começa a recolher declarações no dia 6 de março, veja quem é obrigado a declarar.

Untitled-1A Receita Federal do Brasil publicou nesta sexta-feira (21), no “Diário Oficial” da União, a instrução normativa que define as regras do Imposto de Renda pessoa física 2014 (relativo ao ano de 2013).

Neste ano, o prazo de envio da declaração começa no dia 6 de março e vai até 30 de abril. O contribuinte terá, assim, menos dias para prestar contas ao Fisco, uma vez que, nos anos anteriores, o prazo começava no dia 1º.

O documento determina quem é obrigado a declarar, quais os prazos e as multas. Entre os que devem declarar, estão os que tiveram rendimentos tributáveis acima de R$ 25.661,70 ou rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte acima de R$ 40.000,00.

Rendimento tributável, por exemplo, é o salário. Rendimento isento ou não tributável pode ser uma indenização trabalhista.

Também é obrigado a apresentar o IR quem investiu em ações ou tinha bens acima de R$ 300 mil em 2013.

A declaração deve ser entregue pela internet. Será possível fazer o envio por computadores, tablets e smartphones. Não é mais permitido entregar em disquetes (apenas quem entregar depois do prazo poderá usar mídia removível, que terá de ser levada até uma unidade da Receita Federal).

No caso da entrega por computador, será preciso baixar um programa no site da Receita Federal. No caso de tablets e smartphones, será necessário baixar o aplicativo m-IRPF, que estará disponível nas lojas de aplicativos Googleplay, para o sistema operacional Android, ou App Store, para o sistema operacional iOS.

Existem algumas restrições para o envio da declaração pelo m-IRPF. Essa opção não poderá ser feita, por exemplo, por quem teve rendimentos tributáveis no exterior ou superiores a R$ 10 milhões, entre outros casos.

Contribuintes que tiverem certificação digital poderão, neste ano, usar uma declaração pré-preenchida. Nesse caso, alguns dados serão colocados automaticamente na declaração pela Receita Federal.

Em todos os casos, a entrega pode ser feita até as 23h59min59seg de 30 de abril. A multa para quem entrega a declaração fora do prazo é de 1% ao mês. O valor mínimo é de R$ 165,74, e o máximo é de 20% do imposto devido.

VISITE O SITE DA MYX IMÓVEIS
ENCONTRE OS MELHORES APARTAMENTOS E CASAS EM SANTOS
www.myximoveis.com.br

Está obrigado a declarar em 2014 o contribuinte que, em 2013, preencheu alguma das seguintes situações:

1 – recebeu rendimentos tributáveis (salários, por exemplo) acima de R$ 25.661,70;

2 – recebeu rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte (indenizações, por exemplo), acima de R$ 40.000,00;

3 – obteve ganho de capital ao vender bens ou direitos ou investiu em Bolsas;

4 – em caso de atividade rural:
a) obteve receita bruta acima de R$ 128.308,50;

b) vá compensar, no ano-base de 2013 (a que se refere o IR 2014) ou depois, prejuízos de anos anteriores ou do ano-base de 2013;

5 – teve, em 31 de dezembro de 2013, a posse ou a propriedade de bens ou direitos de valor total superior a R$ 300 mil;

6 – passou a morar no Brasil em qualquer mês e nesta condição se encontrava em 31 de dezembro de 2013;

7 – optou pela isenção do IR do ganho de capital na venda de imóveis residenciais, por ter aplicado o dinheiro na compra de outro imóvel residencial, em até 180 dias a partir venda do imóvel original.

Fica dispensado de fazer a declaração do Imposto de Renda o contribuinte que esteve numa das seguintes situações em 2013:

1 – enquadrar-se apenas na hipótese prevista no item 5 (possuir bens acima de R$ 300 mil) e que, se viver em sociedade conjugal ou união estável, tenha os bens comuns declarados pelo outro cônjuge ou companheiro, desde que o valor total dos seus bens privativos não passe de R$ 300 mil;

2 – que se enquadrar em uma ou mais das hipóteses dos itens 1 a 7, caso conste como dependente em declaração de outra pessoa física, na qual tenham sido informados seus rendimentos, bens e direitos.

Se quiser, a pessoa, mesmo desobrigada, pode apresentar a declaração.

Regras para escolha do modelo simplificado ou completo

O contribuinte pode escolher o modelo completo ou o simplificado. Na opção pelo simplificado, é aplicado o desconto padrão de 20% (independentemente de gastos com saúde e educação, por exemplo). O limite para esse desconto de 20% é de R$ 15.197,02.

Não pode escolher pelo modelo simplificado o contribuinte que compensar prejuízo da atividade rural ou imposto pago no exterior.

Pagamento do imposto pode ser feito em 8 parcelas

Se a pessoa tiver imposto a pagar, pode dividir em até oito meses, desde que a parcela não seja menor que R$ 50,00. Imposto de valor menor que R$ 100,00 deve ser pago à vista.

A primeira cota ou cota única deve ser paga até o prazo final da declaração (30 de abril). As demais cotas são pagas até o último dia útil de cada mês, acrescidas de juros conforme a Selic, até o mês anterior ao do pagamento, e de 1% no mês do pagamento.

 

Fonte: UOL